Clique aqui e ganhe dinheiro em casa!!!

Administração, tecnologia

Em primeiro lugar os e-mails que mais recebo ultimamente é: ganhe dinheiro em casa. Bueno, isto já é realidade de muitas pessoas. Com o vírus chinês muitas pessoas que conseguiram manter seus trabalhos ativos, estão operando de casa. Muitas pessoas estão tentando ganhar dinheiro em casa de verdade. Reinventar-se é o mantra do momento, mas não inventa moda. Não realiza loucuras. O recurso bem empregado deve gerar dinheiro. Todo investimento tem risco, e quanto maior o risco, maior o retorno, mas este momento o risco tem que ser calculado.

Os e-mails milagrosos são apelativos propõe ficar sentado fazendo algo inusitado para ganhar muito dinheiro. Ganhe dinheiro fazendo trade, divulgando empresas de criptomoedas…. Não consigo compreender como em pleno século 21, as pessoas ainda preferem confiar em e-mails desconhecidos do que acreditar em instituições e pessoas confiáveis.

Estas promessas vazias são tais quais as promessas vazias de ganhos fáceis de 15% ao mês, prometido por algumas empresas de mineração. Só que eles não percebem que estas empresas mineram apenas em pirâmides. E, quando o teu modelo de negócio é único, o fracasso é certo.

Nestes momentos de crise, confiança está em primeiro lugar. Na verdade, vendo as pessoas hoje, não consigo compreender como elas se portariam em uma guerra de verdade. A conta ia sobrar sempre para os mesmos. E os mesmos são cada vez menos. Tal qual como falam mal dos bancos. Bancos são ruins, mas é um ser necessário.

Portanto, neste momento de fragilidade emocional, financeira e social cair e golpes é fácil e a atenção tem que ser mais do que redobrada. Pergunte a amigos e conhecidos que são do meio tema do e-mail. Desconfie, olhe a fonte, veja se tem como descadastrar o e-mail. E, se houver muitos “!!!” (ponto de exclamação) já é um grande indício de cilada. Pesquise a empresa na internet, pesquise no Reclame Aqui e NUNCA, mas NUNCA clique nos links até ter totalmente certeza do que estas clicando.

PS.: Será que tu clicou aqui para saber a magia para ganhar dinheiro fácil? Sim ou não… comente.

Sujar a carteira 3

carreira, RH

Em primeiro lugar este post “Sujar a carteira” foi muito debatido e muito interativo no blog. Em um momento de pandemia o tema volta vem à tona. Replico abaixo o texto publicado em 2013.

Momentos de pandemia/caos exigem muito do psicológico. Às vezes, as mudanças não são pessoais, são de sobrevivência ou do pânico. Pânico, pois, muitas vezes atitudes de manada afetam ainda mais a situação.

Aproveite este momento para estudar, refletir e descansar. Afinal, a imunidade geral deve estar em alta. Uma vida nova virá. Se nos mesmos padrões ou não, vamos pagar para ver. Vamos reler o post da época abaixo.

Sobre sujar a carteira e a rotatividade no emprego:

Deve-se ressaltar que os padrões morais modernos mudaram muito. Há quem diga ainda que uma pessoa que passa por várias empresas não é um bom funcionário. Há, porém, outros que considerem isso normal ou não veem com maus olhos.

Penso que deve haver uma ponderação e faço uma consideração que deve ser analisado caso a caso, ponto a ponto, pessoa a pessoa, pois é importante analisar se a pessoa:

– Muda dentro do setor/área de atuação, ou se muda de setor/área de atuação.

– Possui uma ascensão crescente na carreira e galga cargos melhores, ou se anda para trás, com piores cargos e em piores empresas.

– Mudou de interesses profissionais e está em busca de desafios, ou está se adaptando as tendências de empregabilidade de trabalho.

– Tem justificativas plausíveis para suas saídas das empresas e como sai de cada empresa.

Rodar muito de emprego dentro do mesmo setor/área de atuação pode demonstrar que o empregado não é um bom funcionário, que começa um projeto e não termina e que é insatisfeito com tudo e com todos. Ou, que é da natureza do setor/área de atuação alta rotação entre as empresas. Já em contrapartida, a pessoa que roda pouco dentro do mesmo setor/área pode ser vista como conservadora ou acomodada (não propensa a mudanças) e com medo de desafios e de enfrentar o desconhecido. Estes são alguns pontos de vista sobre rotação, agora outra análise possível são os motivos de saídas das empresas, em qualquer processo de seleção há a pergunta: porque tu saíste do último emprego? Esses motivos dizem muito. Nem quero entrar aqui na questão de disputas judiciais. Pois, cada caso é um caso. O que é possível pensar, é que se o candidato age de má fé e tem um histórico disso – independentemente da sua rotatividade – com certeza deve ser descartado do processo seletivo, pois esse dificilmente conseguirá permanecer por muito tempo em um emprego caso venha a ser contratado

.

Quando o teu melhor não dá em nada, o que fazer?

carreira, Pessoal, RH

Em primeiro lugar há quanto tempo este pensamento – “faço meu melhor para nada” – está no teu radar mental?

Se está a há mais de 3 anos é um problema. 3 anos é um período de maturação. Se este pensamento ronda há mais de 3 anos há um grande problema na tua carreira.

Os pensamentos abaixo são muito comuns na mente de quem está incomodado:

  • Produzo muito mais do que ganho;
  • Ninguém observa meu trabalho, tampouco é valorizado;
  • O meu trabalho é criticado por todo mundo;
  • Me deparo muitas vezes com tarefas que não tenho conhecimento para fazer.

Saber quando há necessidade de mudar, evoluir e sair do status quo atual é de suma importância para busca dos sonhos. E buscar os sonhos é experimentar o teu melhor.

Buscar teus sonhos é elevar teu conhecimento, utilizar toda a tua bagagem e experimentar os teus limites. O prazer está nos limites. O melhor evidencia-se no limite e na sua superação. E a sensação de que o teu melhor não dá em nada – ou não mais do que um mero tapa nas costas, frusta.

Portante, vale a pena realizar sessões de coaching e buscar qualificação. Quando o cavalo encilhado passar, não se pode perder a oportunidade.

Somos sempre vendedores

RH

Em primeiro lugar, somos sempre vendedores

Independentemente da função ou da profissão estamos sempre vendendo. Sou (foi ativamente no passado, hoje não estou operando) bombeiro voluntário, e algo que sempre cuidamos foi da nossa imagem. Fazer o correto, fazer de modo certo, transparecer organização e preservar nossa postura utilizando palavras e expressão corporal calculadas. A final, a comunidade deveria olhar para o nosso serviço como algo voluntário mas não amador.

E é nesse ponto que quero a tua atenção para sempre, mas sempre mesmo, ser um bom vendedor.

Recentemente terminei de ler o livro autobiográfico “Os Segredos do Lobo” de Jordan Belfort (Editora Planeta). E confesso que foi o melhor livro de vendas que tive contato nos últimos anos. Melhor pois o autor explica com detalhes coisas que nos cursos nos dizem apenas. Por exemplo, falam muito hoje em criar rapport, porém detalhes da postura do atendimento/interação com o cliente são (muitas vezes) tangenciados em cursos de vendas. E muitas vezes fogem pela tangencia pelo simples fato de quem ministra o curso não ser um vendedor com prática, mas alguém que estudou tal conceito e aplica. Na real, esse palestrante é um bom vendedor, pois mesmo sem experiência te convenceu a ir no curso dele (risos). Deboches a parte, antes de fazer um curso de vendas, vasculhe na internet quem é o ministrante. E procure cursos concorrentes também.

Portanto, cuide sempre de sua postura, linguagem verbal e não verbal, das redes sociais, da sua carreira, das suas atividades extras profissionais (de dia é corretor, e de noite coordena o tráfico na rua – isso não combina neh!). Bem como, procure sempre ser ético e sempre cumprir os acordos, pequenos e grandes firmados com o interlocutor.

Procure no Google: livros sobre vendas, cursos de vendas, pós-graduações em área comercial, imersões sobre vendas. E simplesmente aprofunde-se ao máximo para ser um bom vendedor, sempre promovendo sua imagem frente a sua rede de relacionamentos. Seu marketing pessoal é tudo!

Seja o melhor no que faz

Empreendedorismo, Geral, RH

Em primeiro lugar se for fazer algo, faça bem feito; faça para ser o melhor.

É comum histórias de lavadores, garçons, engraxates etc. que são destaques no meio que convivem. Qual o motivo? São os melhores. Fazem porque amam o que fazem e querem fazer bem feito. Querem ser os melhores. Para os outros? Não mas para si. Querem sentir-se bem.

Existe muitas recomendações, muitos consultores, muitos planos de sucesso são escritos a todo instante.

Por isso, vale lembrar e relembrar que cursos online, cursos gratuitos e gurus de plantão estão ai para te ajudar. Aproveite para sempre ter a força de vontade interna, amar o que faz e fazer o melhor para si.

Não esqueça: os lembrados são os que amam o que fazem! Só ver os nomes mais lembrados da história.

Se não for fazer bem feito, nem faça.

Carreira é igual a ovo de Páscoa

RH

Em primeiro lugar penso que uma carreira de sucesso é clean , mas recheada de bons atrativos.

Penso que uma carreira não precisa ser linear, ou seja, seguir sempre no mesmo ramo. Penso que a formação, experiências e atividades devam seguir uma linha lógica de conexão e amadurecimento.

Realizar uma pós-graduação é muito bom! Porém, encher o currículo com várias pós pode ser ruim. Pode gerar ao avaliador insegurança do candidato, pois, ao analisar suas experiências profissionais percebe que elas são fracas perto de tamanha formação. Por isso, menos pode ser mais. Faça com que o futuro avaliador fique admirado por sua trajetória e por sua formação. Mostre a ele surpresas! Na hora dos processos seletivos os avaliadores gostam de ser surpreendidos positivamente. Por isso, sua carreira é um ovo de Páscoa. Onde, muitas vezes, a verdadeira emoção está dentro do ovo.

Ao mudar de carreira tome todas as precauções possíveis: escolha bem os motivos para não cair na armadilha de ter uma carreira manchada de pulos em vários galhos. Faça uma leitura do mercado e também aproveite para sempre tentar crescer nestas mudanças.

Opto por uma trajetória honesta e sempre priorizando as boas oportunidades. Não deixe o cavalo encilhado passar sem montar.

Tudo o que foi dito não servirá se teu trabalho não for de entrega, ou seja, não entregar aquilo esperado e mais um pouco. Pense nisso na hora de escolher uma trajetória profissional!

O passado tão presente

Empreendedorismo, Ensino de Administração, Pessoal

Em primeiro lugar as leituras dos livros clássicos escritos no distante passado são fundamentais para uma melhor compreensão do presente e de como podemos pensar para o futuro.

Recentemente li o livro de Karen McMreadie que realiza interessantes interpretações dos clássicos dos séculos passados. Sua visão sobre Adam Smith é fantástica. Os conceitos da valorosa obra de Smith são resumidos por ela de modo atual e divertido.

Lendo este resumo sobre A Riqueza das Nações, percebi o quanto o mundo pouco mudou. Ou quanto não evoluiu. Ou, o quanto Smith estava certo.

Confesso que aprendi muito ao ler o resumo. Confesso que mudei, e tomei algumas atitudes de precaução que há anos Adam Smith já apontava. Principalmente sobre as mazelas do capitalismo.

A leitura de livros do passado toma sentido quando lermos algo sobre o futuro atual e o futuro platônico. A leitura das grandes obras se torna gostosa quando se realizam analogias com o que se vive. Por isso, ler Platão só faz se sentido se quem está lendo pode extrair algo – independente da profissão em que atua.

Pense e reflita sobre as leituras chatas: elas podem ensinar muito mais do que se imagina. Leia-as nem que isso demoro 1 ano. Não vi ninguém ficando burro ou pobre fazendo coisas chatas, apenas mais egoístas.