Funcionário Fardo

Administração

Em primeiro lugar existem funcionários que a empresa literalmente empurra com a barriga ou leva de arrasto. Estes funcionários são fardos muito pesados para a folha salarial da empresa, uma vez que oneram o caixa da empresa sem dar, igual ou superior, resultado justo e digno em contra partida do que recebem. Este tipo de funcionário aparece principalmente nas empresas de pequeno e médio porte.

É muito difícil lidar com funcionários assim, pois geralmente são pessoas que estão a muito tempo na empresa, sabem muito e possuem uma relação de confiança com os donos e fundadores da empresa. Emocionalmente é muito difícil demitir alguém assim, não há receita para isso, pois um empreendedor necessita de pessoas de confiança para alavancar seu negócio, e é inevitável se envolver emocionalmente com os funcionários de confiança.

Por muitos fatores estas pessoas deixam de ser rentáveis e produtivas. Quando a empresa cresce e se profissionaliza, o que é fundamental para a continuidade do negócio, o dono deve atuar para realocar estas pessoas na empresa, ou em outra empresa afim de motivá-los, torná-los produtivos e não errar com as pessoas que mais acertaram na empresa. Oferecer cursos, novos trabalhos, novas rotinas e novos desafios são boas alternativas.

Com a profissionalização, a conversa e diálogo franco sobre como as coisas estão e das possíveis e efetivas mudanças que irão ocorrer deve ser eficaz para que os fardos se deem conta de que podem ter que sair de seu status quo. Repito: o momento é delicado e não é há receita, somente o diálogo solucionará o impasse.

O que o dono da empresa e do fardo não pode fazer é simplesmente livrar-se deste de qualquer jeito, pois uma hora ou outra, ele mesmo pode ser o fardo dos acionistas de sua própria empresa.

“Eva” Venenosa

Administração

Em primeiro lugar existem funcionários nas empresas que são verdadeiros cobras. São piores do que cobra cascavel. Trabalhar com estas pessoas não é nada fácil. Demitir é o melhor caminho, porém livrar-se de quem contamina o ambiente, não traz resultados e vive se fazendo de vítima, não é uma tarefa fácil. Pessoas venenosas trabalham sem parar para expandir seus ideais negativos e maldosos. Se dão ao luxo de fofocar e de persuadir os outros a agirem como elas querem. Assim, demitir uma pessoa venenosa é delicadíssimo, pois esta pode levar consigo outras pessoas, e muitas vezes as pessoas chaves da empresa (que estão ludibriadas e seduzidas pelo funcionário problema). Em alguns casos essas pessoas agem sem maldade, agem assim porque são assim ou, passam agir assim quando um único fato desencadeia uma raiva interna com a empresa e passa rogar pragas. A raiva destas ovelhas negras não tem limite, e ironicamente se fazem de vítimas.

Ser colega de pessoas assim é péssimo, e quanto mais a pessoa fica na organização, mais o clima fica ruim e tudo piora. A empresa pode agir de algumas maneiras: Primeiro, procurar não errar na seleção. Segundo, chamar para uma conversa e falar a real, isso pode revoltar a pessoa problema e ela tem poder de sair levando mais gente consigo, porém a empresa se livra dela. Terceiro, deixar esta pessoa totalmente inutilizada, isso revolta os colegas e piora a situação, pois o funcionário venenoso vai demorar para sair. E Quarto, conseguir outro emprego “melhor” para esta pessoa e empurrar o problema adiante.

Por fim, estas pessoas que somente desejam o mal das pessoas e da organização. Uma empresa não pode se permitir carregar um fardo tão pesado assim. Agora imaginem a seguinte situação: O ovelha negra sai da empresa e vai para a concorrência. A concorrência pensa em estar fazendo uma grande admissão e esta pessoa venenosa pensa em estar vingando-se da sua última empresa.