Ensino Argentino

Administração, Intercâmbio

Em primeiro lugar, o ensino argentino é diferente do modelo brasileiro (falando da carreira de Administração em específico).

A carga de leitura é grande, os trabalhos acadêmicos são muitos e a cobrança em sala de aula é maior e tão grande que poucos se atrevem a conversar e chegar ou sair antes de aula. Talvez, estes últimos seja mais por causa de fatores culturais do que por causa do sistema de ensino.

Enfim, o aprendizado que tenho nas duas matérias que faço com certeza foi efetivo. A dificuldade e o nível de comprometimento exigido leva com que os hermanos quase em sua totalidade não trabalham para poder levar a faculdade de acordo com os cronogramas normais. Os que trabalham levam geralmente mais tempo para se formar.

Posso resumir que os professores não fingem ensinar e os alunos não fingem aprender. Algo bom que o Brasil tem, e em especial a UFSM é que lá podemos participar de outras várias atividades extra curriculares que fornecem conhecimento prático e experiencias lindas dentro do meio acadêmico. E é nesse ponto que os alunos daqui lutam para possuir mais oportunidades práticas – principalmente com o voluntariado. Porém o que me pergunto é se isso pode levar ao baixo rendimento e baixo aproveitamento em sala de aula, observo que no Brasil as vezes estamos matando aula ou voando em sala devido a outras tarefas.

Por fim, penso que no Brasil temos mais que aprender com os argentinos do que eles com nós.

Inspiração

Administração, Geral, Pessoal

Em primeiro lugar, existe uma coisa que ninguém consegue tirar de nós: conhecimento.
Para isso é fundamental ler, viajar e conhecer pessoas. Acredito que estas são excelentes fontes de inspiração para quem quer pensar e agir fora do quadrado.

Apesar de todos terem a consciência de que ler é fundamental a média de livros que um brasileiro lê é de 1,3 livros,e se espantante, por ano! Os leitores habituais somam aproximadamente 95 milhões de pessoas em um universo de quase 190 milhões de pessoas. Sendo que destes leitores, apenas 75% sentem prazer em ler. Estes dados são do Instituto Pró-Livro, que em sua última pesquisa considerou leitor que lê no mínimo 1 livro acada três meses, ou seja, 4 por ano! Por fim, o estudo mostra que quanto maior o grau de instrução e maior a renda, a tendência a ler mais é maior.
Eu, estava incluso nos que leem 1 livro por ano. Estava no 5 semestre de Administração quando ouvi um conselho e aprendi o seguinte: “Se tu tirás 30 min por dia para começar a ler qualquer coisa, não irá parar mais!”Me dei conta o erro que estava cometendo e fiz isso. Deu certo!
Consigo ler um pouco no meu intervalo para almoço, ao acordar e ao dormir, estou sempre lendo. Optei por não tirar uma manhã ou uma noite para ler.
Além dos livros e materiais da faculdade, que pouco lia antes, comecei loucamente a assinar revistas e virei maníaco por livros. Não entro em um sebo ou uma livraria sem levar algo.
E esse envolvimento diário é apaixonamento. E idéias loucas surgem a todo instante, pois o nível de prazer em ler é muito grande e isso desperta nossa imaginação. Os livros transpiram inspiração.
Não podemos esquecer também que as vivências de novas experiências são muito ricas para o nosso ego. Conhecer pessoas diferentes e inusitadas agrega muito. Certa vez, eu e mais um amigo estávamos perdidos no interior de Não-Me-Toque/RS procurando a cidade. Ao pararmos para pedir informação em uma casa de descendentes de imigrantes aprendi algo muito simples do agricultor que tentava me orientar: “Não entra em uma estrada quando não se sabe para onde ela vai te levar”. Ter um destino não é o suficiente se não se sabe como chegar até ele. Isso, me abriu os olhos e passei a ser mais cauteloso em minhas decisões, pois o medo de estar perdido novamente era grande. Conversar com secretárias, seguranças, faxineiras podem nos agregar muito, e nos ajudar muito quando precisarmos também. Por isso, procure ser sempre simpático e amigável com todos, tolere e respeito muito, assim saberás como aprender e quem sabe construir bons laços de relacionamentos. E parta do seguinte princípio: Onde quer que esteja, não importa o motivo, tente extrair do momento algo bom.

Rá! Então, está na hora de ter consciência do erro que cometemos em não ler e simplesmente ter atitude de antes de dormir ou em um intervalo ler 5 ou 6 páginas de um livro ou revista de interesse.
É destas leituras que faço que retiro minha inspiração e defino meus pontos de vista. E se vocês verem algum estrangeiro caminhando pela cidade, corram até ele para conversar. É engraçado, mas eu conheci uma chinesa assim.