Rentabilize o conhecimento

Empreendedorismo, RH

Em primeiro lugar o empreendedorismo proporciona ganhos em escala que poucos trabalhos CLT proporcionam. Empreender é sempre por necessidade. Uma necessidade interna ou externa. Uma necessidade interna de anseios por liberdade, por reconhecimento, por provação de capacidade, por ganhos financeiros, etc. As necessidades externas são as mais diversas, e a pandemia empurrou diversas pessoas a conduzirem o próprio negócio.

As empresas não conseguem remunerar e recompensar seus empregados exponencialmente. Isto seria difícil, afinal, é a essência do lucro. Porém, uma parte disto poderia ser usada para gerar mais lucro se houve retorno pelo ganho exponencial a quem realiza um trabalho que proporciona ganhos exponenciais. Assim, em condições de igualdade, os empregados irão produzir no limite da recompensa máxima que poderá auferir.

Esforço extra, atenção redobrada, qualificação de atendimento, sabedoria na execução de tarefas e a busca por conhecimento novo geralmente não são devidamente recompensadas. Empresas arcaicas podem inclusive exigir esforços para que o funcionário busque cada vez mais conhecimento e atualização para “desempenhar suas tarefas”. E isto é uma verdade, porém, quanto de fato isto causa impacto na alteração do trabalho? É a essência do ganho exponencial.

Buscar rentabilizar por tudo o que sabe, o que lê, o que viveu, o que estudou e estuda é dilema interessante. E este tema desencadeará ainda muitos posts para o blog. Afinal, buscar ganhar mais é um anseio presente na maior parte dos profissionais que desejam ascender profissionalmente.

Portanto, o ponto de equilíbrio entre a felicidade do trabalho e o ganho financeiro está em buscar rentabilidade exponencial no conhecimento. Ou seja, o teu saber e saber fazer será recompensado quanto mais produzir, quanto mais se esforçar. E buscar um emprego que contemple isto está cada vez mais raro e difícil. Empreender é a grande saída para este impasse.

Já pensou em empreender? O que te falta para empreender?

Quando o teu melhor não dá em nada, o que fazer?

carreira, Pessoal, RH

Em primeiro lugar há quanto tempo este pensamento – “faço meu melhor para nada” – está no teu radar mental?

Se está a há mais de 3 anos é um problema. 3 anos é um período de maturação. Se este pensamento ronda há mais de 3 anos há um grande problema na tua carreira.

Os pensamentos abaixo são muito comuns na mente de quem está incomodado:

  • Produzo muito mais do que ganho;
  • Ninguém observa meu trabalho, tampouco é valorizado;
  • O meu trabalho é criticado por todo mundo;
  • Me deparo muitas vezes com tarefas que não tenho conhecimento para fazer.

Saber quando há necessidade de mudar, evoluir e sair do status quo atual é de suma importância para busca dos sonhos. E buscar os sonhos é experimentar o teu melhor.

Buscar teus sonhos é elevar teu conhecimento, utilizar toda a tua bagagem e experimentar os teus limites. O prazer está nos limites. O melhor evidencia-se no limite e na sua superação. E a sensação de que o teu melhor não dá em nada – ou não mais do que um mero tapa nas costas, frusta.

Portante, vale a pena realizar sessões de coaching e buscar qualificação. Quando o cavalo encilhado passar, não se pode perder a oportunidade.

Faça Pós!

Geral

Em primeiro lugar busque conhecimento, busque qualificar-se, busque titulação.

Alguém irá questionar: mas diploma não resolve nada! De fato, ter um papel de titulação de pouco adianta se o conhecimento dele não for utilizado. E mais, se o conhecimento o diploma não estiver na tua cabeça, o dinheiro foi pelo ralo.

A busca insaciável por conhecimento enalte o homem e alimenta a alma. A maturidade se conquista a passos largos com leituras, cursos e viagens. Realizando cursos EAD´s e comprando livros são métodos econômicos e práticos para subir na vida. Viagens, quando tua estabilidade financeira permitir: aproveite.

Já realizei uma pós na Anhanguera e atualmente estou cursando outra na Uninter, e ambas EAD. E garanto: isso tem me ajudado a crescer como pessoa e profissionalmente. A pós da Uninter estou pagando R$ 280,00 mensais, um investimento alto para meu salário hoje, mas vislumbro no curto prazo ascensão dentro da empresa onde trabalho. E esse investimento já poderá ser diluído.

Mexa o teu dedo e clique abaixo e consulte, faça orçamentos e quebre a inércia.

Anhanguera

Uninter

Empreender é estilo de vida

Administração, Pessoal

Em primeiro lugar acredito que ser empreendedor é um estilo de vida. Quando se empreende em algo ou alguma coisa, se admite um comportamento, um estilo de vida. Aliás, um empreender não admite um novo estilo de vida, na verdade ele põem para fora, ou passa a viver, como sempre desejou, e reproduz seu interior para o meio. Posso listar os principais motivos que vejo as pessoas abrindo uma empresa: dinheiro, desejo e motivação própria, necessidade e oportunidade. Mas acredito que um empreendedor de verdade não é necessariamente quem abre uma empresa, mas como já afirmei, quem adota um estilo de vida: assumindo risco, perseguindo desafios, inovando e vendendo.

Foi assim que recentemente abri com um ex-colega de faculdade (e um grande amigo também) um negócio. Desejamos aproximar os gaúchos que vivem longe do Rio Grande do Sul à terra natal, e criar uma grande roda de chimarrão ao redor de todos que são apaixonados pela tradição e mantém esse hábito. Apaixonado pela cultura gaúcha e pela história rio-grandense monto este negócio com o sentimento de que faço um bem para um povo. Descrevendo nosso negócio, digo que somos apaixonados pelo chimarrão. Somos movidos pela tradição. E assim é o assineervamate.com.br. Desejamos criar esta grande roda de chimarrão vendendo erva mate pela internet.

Coloco em prática mais um sonho. Ponho em prática os ensinamentos da administração. Assim como meu amigo, empreendemos por bem social. Quem deseja empreender deve acima de tudo aceitar a nova condição de vida. Sou do tipo que tenho ideias quando coloco a cabeça na cama e durmo tarde até concluí-la (mas não deixo de dormir). No início de um negócio todo o sangue deve ser dado e a energia deve ser canalizada para o seu sucesso.

O primeiro passo é o mais difícil. Por isso, eu e o meu sócio buscamos pesquisar sobre vendas online, sobre legislação vigente, sobre concorrentes, sobre os fornecedores, sobre o mercado, sobre as perspectivas para iniciarmos  da forma mais correta possível. Por fim, empreendo por amor e paixão, e este é o primeiro post que escreve sobre “Empreender é um estilo de vida”.