Clique aqui e ganhe dinheiro em casa!!!

Administração, tecnologia

Em primeiro lugar os e-mails que mais recebo ultimamente é: ganhe dinheiro em casa. Bueno, isto já é realidade de muitas pessoas. Com o vírus chinês muitas pessoas que conseguiram manter seus trabalhos ativos, estão operando de casa. Muitas pessoas estão tentando ganhar dinheiro em casa de verdade. Reinventar-se é o mantra do momento, mas não inventa moda. Não realiza loucuras. O recurso bem empregado deve gerar dinheiro. Todo investimento tem risco, e quanto maior o risco, maior o retorno, mas este momento o risco tem que ser calculado.

Os e-mails milagrosos são apelativos propõe ficar sentado fazendo algo inusitado para ganhar muito dinheiro. Ganhe dinheiro fazendo trade, divulgando empresas de criptomoedas…. Não consigo compreender como em pleno século 21, as pessoas ainda preferem confiar em e-mails desconhecidos do que acreditar em instituições e pessoas confiáveis.

Estas promessas vazias são tais quais as promessas vazias de ganhos fáceis de 15% ao mês, prometido por algumas empresas de mineração. Só que eles não percebem que estas empresas mineram apenas em pirâmides. E, quando o teu modelo de negócio é único, o fracasso é certo.

Nestes momentos de crise, confiança está em primeiro lugar. Na verdade, vendo as pessoas hoje, não consigo compreender como elas se portariam em uma guerra de verdade. A conta ia sobrar sempre para os mesmos. E os mesmos são cada vez menos. Tal qual como falam mal dos bancos. Bancos são ruins, mas é um ser necessário.

Portanto, neste momento de fragilidade emocional, financeira e social cair e golpes é fácil e a atenção tem que ser mais do que redobrada. Pergunte a amigos e conhecidos que são do meio tema do e-mail. Desconfie, olhe a fonte, veja se tem como descadastrar o e-mail. E, se houver muitos “!!!” (ponto de exclamação) já é um grande indício de cilada. Pesquise a empresa na internet, pesquise no Reclame Aqui e NUNCA, mas NUNCA clique nos links até ter totalmente certeza do que estas clicando.

PS.: Será que tu clicou aqui para saber a magia para ganhar dinheiro fácil? Sim ou não… comente.

Haja coração

dinheiro, Finanças

Em primeiro lugar a capacidade de poupança financia os empreendimentos e projetos de desenvolvimento. No entanto, financiar com a poupança é caro de mais. Nosso hábito de guardar e não de investir é o problema. A nossa urgência custa demasiado.

O poupador ganha pouco e o tomador paga caro.

A solução é a mudança do perfil do poupador Brasileiro. Sair da renda fixa para o mar aberto da renda variável demandará muita educação financeira e anos de perdas até dar a volta ao mundo. Mesmo o Tesouro Direto, com a sua solidez futura, pode espantar pelas oscilações momentâneas. E os objetivos de ganho são de curto prazo. Para fugir dos juros compostos de longo prazo, o poupador deve ter a certeza de altos ganhos amanhã. Neste viés, as pirâmides financeiras sempre ganham muitos adeptos.

No entanto, a renda variável dos fundos, opções, commodities e ações é algo que o brasileiro poupador precisa perder o medo, a vergonha e ganhar tesão. Assim como os ousados empreendedores precisam criar negócios de valores que possam ser financiados por sócios em potencial. E não suplicando crédito ou entrada e projetos de fundo perdido. Se o negócio é bom, a sociedade de fato financia. E é assim que os sites de financiamento coletivo dão certo.

Em outros lugares do globo, países menores tem mais empresas buscando negócios na Bolsa do que no Brasil. Talvez, em outros lugares, estejam gerando oportunidades de valor. Oportunidades que podem ser compartilhadas e não apenas embutidas. No sentido, “Bueno, no Brasil podemos negociar isto ou aquilo, e não temos como fugir disto”.

Portanto, além de saber como entrar, precisamos preparar nosso organismo para aguentar as oscilações do mar aberto da renda variável para permanecermos. Do contrário, navegaremos do rio a praia apenas. E para que isto não seja verdade, buscar cursos de formação em renda variável (operação em bolsa, conhecer fundos, etc) deve ser um bom passatempo em momentos de reflexão como este da Covid-19.