Livros poderosos e o seu Mindset

livros, RH

Em primeiro lugar a crise é uma seara de boas oportunidades. De fato, muitos irão morrer (seleção natural) e muitos negócios irão falir (limpeza natural). Percebendo os fatos e não podendo fugir deles, o que estas fazendo para tentar sobreviver, sair do círculo vicioso e aproveitar oportunidades?

Lendo livros? Cursos online? Terminando estudos e especializações? Destravando o curso de línguas? Preparando para certificações profissionais? Provas de classe?

Estas cuidando do corpo? Academia? Treinos em casa? Dieta equilibrada? Cortando álcool e doces?

Estas cuidando do espírito? Rezando e orando? Meditando? Cultivando o silêncio? Realizando boas ações?

Livros poderes são aqueles que ficam na frente da prateleira de livros. Aqueles que se posta na rede social e indica aos amigos. Recentemente li o livro Mindset de Carol Dweck. Um livro de conteúdo e que te agrega valor pelo conhecimento embarcado. Com certeza, para produzir a imensidão de conhecimento, a autora demandou muito tempo e dedicação A praticidade do aprendizado torna a leitura obrigatória para quem quer ascender na vida. É um livro que é útil para qualquer pessoa que deseja ser o melhor no que faz. Muitas vezes, presos a vícios rotineiros, não percebemos o mundo a nossa volta e permanecemos na marcha ré. Para sermos melhores, as vezes abrir mãos de muitas coisas e focar energia naquilo que gerar resultados. Boa parte do tempo demandamos energia em situações que não agrega nada. Pense nisto!

Além disso, estou intensificando meus estudos no inglês, se tudo ocorrer bem e houver planeta terra, ano que vem, vou postular um intercambio em um país de língua inglesa. Pode ser até as Malvinas Argentinas!

Portanto, com a dica de leitura do Minset friso a necessidade de aproveitar o tempo livre da quarentena para largar na frente. Será impossível ficar aberto até o descobrimento da vacina e de remédio eficaz. Quando a economia voltar a normalidade, qual é a tua posição no grid de largada? Evoluiu ou engordou na quarentena?

Carreira Sapiens: Botafogo no G4

Administração, carreira, RH

A quarentena tem apenas uma coisa que me agrada: posso passar muito mais tempo lendo do que normalmente faria. Nesses dias, resolvi retomar Sapiens, do Yuval Noah Harari. Confesso que dá primeira vez que iniciei a leitura, fiz de forma displicente. Agora, levei muito mais tempo que o normal em cada página, tentando não deixar passar nenhum detalhe da história que o autor nos apresenta em minúcias e de forma singular. Logo nas primeiras 50 páginas algo me chamou muito a atenção, logo explicarei.
É engraçado como o isolamento nos coloca na ânsia de voltar ao ritmo normal, me tornei o tipo de pessoa que não quer ficar mais de uma semana longe de suas atribuições. Falando um pouco sobre mim, e estendendo também ao Junior, depois de um ano em Porto Alegre, já não somos os mesmo que chegaram. A cada dia no trabalho é um desafio novo, passou o receio de não se adaptar à função, e agora somos tomados por um sentimento quase que paternal em relação a nossas carteiras (carteiras são o grupo de clientes que estão sob nossa responsabilidade). Pois bem, ainda no final do ano passado fomos pré-aprovados para o próximo cargo de gerência dentro do nosso plano de carreira. Em uma perspectiva de promoção e mudança nos próximos anos, é natural nutrir ansiedade pelo que há por vir, diria até que é instintivo. Querendo o quanto antes passar à próxima etapa.
Eis que volto a falar do livro: logo no início, o autor nos mostra que o Homo Sapiens a partir do domínio do fogo passou do meio da pirâmide alimentar para a supremacia do topo (é como se do nada o Botafogo liderasse o campeonato brasileiro). Até ontem o homem era um predador mediano, não tinha condições de disputar as melhores presas nem de enfrentar os grandes predadores. Em pouco tempo, se viu no topo. Era o líder, mas sem preparo para a função. A evolução preparou todos os grandes predadores para evoluir na pirâmide de forma gradativa e equilibrada, desde os leões até os tubarões, o ecossistema se adaptou para que seus líderes não os desequilibrassem. O Homem foi a única exceção. A partir de então, acredita-se que a falta de confiança e preparação para exercer seu papel na natureza desenvolveu no sapiens um sentimento intrínseco de insegurança, e como qualquer animal, quando se sente ameaçado, ataca. O perene sentimento de inferioridade frente ao mundo que o cerca, tornou-o cruel e destrutivo com a natureza, revelando-se o maior genocida e explorador do planeta. Agora já é parte do nosso instinto, chegar ao lugar mais alto de forma precoce teve suas consequências.
Como Yuval nos mostra, desde os primórdios é natural querer acelerar processos e pular etapas para chegar ao topo, em muitas vezes sem o preparo necessário para isso. Tais circunstância me fazem pensar e rever minha ânsia e ambição por evoluir na carreira. Viver o presente e aprender com ele é fundamental. O preço de pular etapas pode ser muito mais caro que o preço da evolução natural. Por mais que desejemos o topo pirâmide, é importante contribuir e aprender com o presente. Uma etapa por vez. Etapa por etapa.

Com a colaboração de Nathan Santos da Costa

Currículo bem postado

carreira, RH

Em primeiro lugar mesmo que já esteja empregado e com boa empregabilidade possui um currículo organizado, atualizado e bem postado?

Não por medo do mercado, mas é importante para autoestima e para o registro histórico de tudo que passa pela tua trajetória profissional. Quem sabe quantos negócios e boas oportunidades passam por tua exposição ao mercado não estar adequada?

É neste sentido que mantenho atualizado minhas redes sociais e meu currículo. Assim, ao longo do tempo consigo dar a ele maturidade e corpo suficiente para tentar captar boas oportunidades. O meu LinkedIn é atualizado e sempre o acesso com frequência. Se eu precisar enviar hoje um currículo, o tenho pronto para envio. Além do blog que tento mantê-lo com uma atualização frequente. Bem verdade que poderia escrever mais, mas, tentarei ao longo do ano melhorar isto.

Quando uma oportunidade bate a minha porta, não a fecho dizendo que já tenho trabalho. Procuro ouvir a proposta, e sem interessante, faço meu preço para aderir. Sim, faço meu preço. Todos temos um preço (no bom sentido). Assim, se vale a pena a tua captação para esta boa oportunidade, o teu preço é chave de entrada. Caro ou barato o mercado se encarrega de quantificar.

Acredito que com a exposição adequada e qualificação correta o teu preço pode ser quantificado pelas experiências e vivências anteriores. Se ela demonstra evolução (mesmo que rápida) – ponto positivo. Se representou evolução para liderança ou cargos de gerência – ponto positivo. Se o grau de complexidade do negócio/mercado da nova empresa aumentou – ponto positivo. A evolução salarial condiz com a evolução do cargo e do trabalho – ponto positivo. Se o desafio de estar em uma empresa menor for maior do que uma empresa maior – ponto positivo. Aqui, o sentido é de que se andarmos para trás (assumir um cargo inferior em uma empresa inferior/menor) o passado atrás dado servirá para o progresso posterior.

Portanto, mantenha-se atualizado, qualificado e bem exposto. As oportunidades procuram as pessoas preparadas.

LinkedIn na prática

Administração, Pessoal, RH

Em primeiro lugar sempre disse que contatos são tudo e relacionamento são o sucesso. E com isso, é importante sempre manter um bom relacionamento com todas as pessoas que estão a sua volta.

Muitas vezes, a falta de atenção com faxineiras, atendentes da copa, traduz muito sobre as pessoas que ignoram estas funções essenciais. Até mesmo o engraxate que fica na porta do trabalho: ele conhece todo mundo, e muitas vezes ninguém o vê. E pode ser um comentário despretensioso de alguém que tu não espera que pode te abrir portas.

Essa áurea de bons comentários, de boas imagens e boas impressões tu deves construir dia após dia. Com cada pessoa que tu te relaciona.

Investir em ferramentas de relacionamento é sempre muito importante. A tecnologia deve estar ao nosso lado. Mas, o essencial não deve ser negligenciado. Achar que não fará diferença coisas simples é um grande erro. Não caia nesta armadilha.

Bom dia, tchau, até amanhã, bom descanso, com licença, por favor, OBRIGADO, olhar nos olhos, apertar a mão, ainda existem! E é aí que começa a criar sua áurea positiva.

Certa vez, em Santa Maria, no final da faculdade, passei pela triagem de currículos e fui chamado para uma entrevista de emprego (aquele que seria meu primeiro emprego com carteira assinada). Era uma empresa de logística. Marcado para as 9 horas, fui convidado para uma entrevista. O local era perto da minha casa e fui a pé, cheguei 10 minutos antes do marcado.

As 9:30 h aproximadamente, chegou 3 pessoas no local da entrevista e entraram em outra sala. A psicóloga e seus assistentes passaram por todos sem dar bom dia. Após alguns minutos, um assistente informa que iriam começar com as dinâmicas do cargo do financeiro e após o cargo do RH.

Após ouvir isso, selecionei a empresa (que não tinha nem site na época). Levantei e fui embora. Os eventos que ocorreram na minha depois acredito que foram melhores.

Portanto, te esperta! Seja simples, sem frescuras, humilde. Seja alegre, cordial e comunicativo. Com certeza, alguém estará te vendo.

Momento sabático

Administração, carreira, Pessoal

Em primeiro lugar o momento sabático já foi incluído no teu planejamento de vida?

Em partes decidi que 2019 seria um momento de evolução e amadurecimento do meu conhecimento das Ciências Administrativas. Se tudo ocorrer bem, neste ano concluo mais 3 pós-graduações. E assim, totalizando 4. Fiquei muito tempo entre a primeira e estas 3. Se tivesse me organizado melhor financeiramente e emocionalmente, já teria algo em torno de 6. Ainda faltam dois temas para incluir nas especializações (quem sabe ainda não realizo mais duas no segundo semestre do ano).

O que irei comentar agora parecerá contraditório, mas não é. Especialização é sinal que tu vais seguir uma área. No entanto, quem é formado em Administração (que é um generalista) pode sim aprofundar-se em grandes áreas. Pode sim definir grupos de atuação e seguir. Eu defini assim:

Pessoas -> Negócios (Comercial e Estratégia) -> Agronegócio = Capacidade de educação (Ensino do conhecimento acumulado).

Pessoas é o início, é a base. De nada adiante compreendermos a técnica e esquecermos de que precisamos e nos relacionamos com pessoas. E, sempre, sempre tu estarás vendendo: uma ideia, um produto, um serviço ou um trabalho e etc. O êxito também se deve pelo amplo conhecimento de um produto, uma área, uma especialidade. Ao final, nada mais grandioso do que replicar toda tua bagagem de conhecimento.  

De fevereiro a agosto de ano, planejo concluir minhas 3 Pós em andamento: Pós em Gestão da Tecnologia da Informação, Pós em Gestão Comercial e Marketing, e MBA em Agronegócios. E está sendo muito gratificante, pois chego do meu trabalho (resido perto do trabalho e de outras comodidades que me dão tempo), e logo faço um chimarrão bem topetudo e fico ligado nas aulas. Como são todas à distância, tenho compromisso de assistir as aulas todos os dias. Faço os trabalhos online e as provas nos polos. O ensino a distância necessita de muita disciplina. Do contrário, não se aprende nada.

A rotina que criei de trabalho – aula me forneceram apetite para ir à academia e espraiar a mente. Às vezes, corro na Orla do Rio Guaíba e admiro um magnífico por sol. Essa brecha nos estudos e uma dieta equilibrada já me consumiram saudáveis 9kg.

Sendo assim, planeje teu momento sabático. Eu estou sem filhos, sem casa para manter, com energia e tempo. Assim, não há momento mais adequado do que esse. Após ler isso, irá colocar isso nos teus planos?

Carreira e finanças [3]

carreira, Finanças

Em primeiro lugar após muitos anos de tentativas, compreendo e consigo agora inverter o jogo: fazer o dinheiro trabalhar a meu favor.

Recentemente li alguns artigos que conceituam os millennials (uma das últimas gerações registradas e estudadas pelo mundo teórico/acadêmico que compreende quem nasceu nos anos 2000*) e percebi um padrão no entendimento teórico desta geração de como lidam com dinheiro e bens, e o consumo de modo geral. Bem como, o modo como encaram o trabalho. Com algumas exceções, a geração acredita: tudo está fácil, o trabalho não pode ser árduo, comprar depois pagar (e não guardar para depois possuir), experiências > estabilidade, carpe diem.

Dados que corroboram para isso é na mudança do padrão de consumo destes jovens, como o baixo interesse por bens duráveis, o alto nível de endividamento desta juventude e gastos desenfreados em viver. A maior parte dos jovens é aterrorizada pela maior propensão ao desemprego. Sem experiência, e com interesse maior no whatsapp (muitas vezes) as empresas escolhem os mais velhos.

Nasci no ano de 90. Confesso, que apenas aos 28 anos obtive êxito e virei o jogo financeiro da minha conta bancária. Está mais azul do que vermelho. Eu parecia um millennials.

Quando inverti a lógica da qual imagino que para sobrar mais, preciso ganhar mais. Assim, corri nesta linha. Focar em apenas cortar gastos é míope, entristecedor e muitas vezes não atinge o efeito necessário. Assim, busquei oportunidade para ganhar mais e liguei o “modo econômico”. Mantive apenas gastos (alguns até ampliei) que geram e irão gerar algum retorno:

  1. Saúde (Acompanhamento com nutricionista (novo gasto); academia (seguiu); plano de saúde (seguiu); seguro de vida (seguiu));
  2. Bem estar (Reduzi gastos com comidas em locais bacanas; mantive idas ao cinema; sigo comprando livros (no mesmo ritmo); reduzi – até zerei – gastos com coisas que gostava de comprar;
  3. Alimentação (Faço comida em casa e levo ao trabalho, eventualmente almoço em restaurante, não compro mais besteiras para comer, reduzi drasticamente o consumo de cervejas e afins);
  4. Vestuário e higiene (Parei de gastar de modo geral, não compro! Apenas o estritamente necessário);
  5. Procuro promoções e procuro comprar coisas boas que duram (guardo para comprar ou compro a vista, ou ainda, em último caso em parcelamentos curtos);
  6. Conhecimento (Ingressei em outra Pós-Graduação, assinei periódicos e jornais de meu interesse, e estou buscando ler sobre minha área de atuação).

Esse modo econômico tem me levado a sobrar recursos para poupar (maior parte dos recursos vão para renda fixa) e uma parte menor para investimentos em renda variável. Não é expressivo, mas os valores que auferi já me animam para seguir guardando. Para seguir minguando nos gastos desnecessários, pedindo descontos, não comprando onde for mal atendido ou o produto não tem qualidade.

Portanto, compreendo que cada vez mais carreiras e finanças andam lado a lado. E quem sabe tu não pode buscar ganhar mais e ligar o teu modo econômico. Boa sorte!

*Alguns argumentam ainda que estes poderiam ter nascido nos anos 90. Porém, percebe uma melhor conceituação dos que nasceram nos anos 2000.

Carreira e Finanças [2]

carreira, dinheiro

O teu salário e o teu esforço

Em primeiro lugar muitas pessoas não valem o que ganham. Já pensou nisso? O teu esforço, trabalho e resultado gerado pagam o que tu ganhas?

Provavelmente, tu está pensando…

E chegou a conclusão que sim! Mas, muitas vezes não estamos certos.

E quando tu começa a compreender isso, há a facilidade de enriquecer. Quando se pensa na geração de valor por meio do serviço que tu presta, tu compreende o teu valor no mercado. E, conhecendo esse valor de mercado, tu pode galgar cargos e empregos melhores.

Faça a conta, e compreenda quanto tu custa pra empresa, e quanto os teus negócios (produtos produzidos, serviços prestados, e etc.) geram de retorno para a empresa. Ao chegar essa conta, se o saldo for positivo para a ti, ou seja, tu ganha menos do que produz: ótimo! É sinal que tu podes galgar coisa melhor. Se a conta que fizeres for negativa, cuidado, alguém pode te substituir.

Buscando melhores oportunidades e melhores salários, controlando os gastos, poderá evoluir em seu patrimônio. Poderá investir em melhores cursos, viajar, ter bens, usufruir de bons serviços e aproveitar a vida.