Pare de perder amigos e “ratiar” com as pessoas

carreira, livros

Em primeiro lugar, ler é um dos maiores prazeres que possuo. Comprar livros era quase uma mania. Consigo agora entrar em uma livraria e apenas olhar o que está em alta ou verificar os lançamentos.

Tenho por hábito ler um livro por mês. É uma velocidade lenta, mas tento ler 10 páginas por dia. Isto não é fácil na minha rotina preenchida com atividades físicas, laborais e podcasts.

Neste post irei falar sobre Dale Carnegie nascido em Maryville, Missouri no dia 24 de novembro de 1888. E, faleceu, em 1955. Dale teve uma vida sofrida e logrou êxito e felicidade quando se manteve fiel a uma localização e a um trabalho. Como Dale escreveu um livro em 1936 que é referência até hoje no desenvolvimento das relações pessoais. Ele inclusive alterou seu sobrenome, que era Carnagey, e com isto, passou a associar-se indiretamente a família Carnegie, que era rica e famosa nos Estados Unidos. De propósito ou não, a mudança passou desapercebida pela qualidade e praticidade das técnicas por ele desenvolvidas.

Como fazer amigos e influenciar pessoas foi escrito em 1936. Os EUA estavam saindo da grande depressão e o mundo preparava-se para a Segunda Guerra Mundial. Neste contexto onde a persuasão foi destaque das mudanças que o mundo experimentava, Dale sufrou muito bem esta onda.

Eu já havia lido ouvido e visto vários vídeos a acerca dos ensinamentos deste excelente professor, talvez pela minha essência, ou até mesmo pela minha prepotência eu nunca tinha parado para ler o livro dele. Vários amigos possuem o best seller do autor, e alguns comentavam sobre os cursos ou até mesmo nos cursos práticos participam do Instituto fundado por Dale.

O fato é que ao longo da minha trajetória acadêmica e profissional estou próximo dos ensinamentos que elucidou no início do século passado. Muito próximo disso, como o próprio Dale elucida: de nada adianta saber a arte de fazer amigos e influenciar pessoas, se nós não fazemos com o coração. Assim, após ler o livro eu tenho consciência de que eu sempre apliquei os conceitos dele sem saber que ele é que havia reunido e escrito ou até mesmo sem saber que eles estavam gravados em algum lugar.

Reconhecer erros rapidamente valorizar as pessoas promover a integração com desenvolvimento sem falso e sem falsas promessas são algumas das premissas que eu possuo.

O livro está disponível nos principais sites e livrarias do Brasil. O livro não pode ser considerado autoajuda. Autoajuda é na minha visão um livro sobre ideias bonitas para internalizarmos. O livro de Dale é prático. Tem técnicas, tem método, tem pesquisa, tem exemplos de pessoas que aplicaram as técnicas e lograram êxito. Testei duas neste fim de semana e incrivelmente deu certo. Espero aplicar mais para afirmar que a teoria é uma tese bem fundamentada.

Após um tempo sem escrever. Posso confirmar que a arte de Fazer Amigos e Influenciar Pessoas sempre me acompanham, ainda mais após a perda de um grande amigo.

Princípios de Dale no Livro Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas:

  1. Não critique, não condene, não se queixe.
  2. Faça um elogio honesto e sincero.
  3. Desperte na outra pessoa um ardente desejo.
  4. Interesse-se sinceramente pelas outras pessoas.
  5. Faça a outra pessoa sentir-se importante, mas faça-o sinceramente.
  6. Respeite a opinião alheia. Nunca diga: “Você está errado”.
  7. Comece de um modo amigável.
  8. Desenvolva um interesse genuíno pelos outros.
  9. Sorria.
  10. Lembre-se de que as pessoas consideram o próprio nome o som mais agradável e mais importante de qualquer idioma.
  11. Seja um bom ouvinte. Encoraje os outros a falar de si.
  12. Fale sobre assuntos que interessam aos outros.
  13. Faça o outro se sentir importante – e seja sincero.
  14. A única forma de ser dar bem numa discussão é evitando-a.
  15. Demostre respeito pela opinião alheia, nunca diga: você está errado.
  16. Se estiver errado, admita depressa e de maneira enfática.
  17. Comece sendo amigável.
  18. Faça com que o outro diga “sim” imediatamente.
  19. Deixe o outro falar durante a maior parte da conversa.
  20. Deixe a outra pessoa sentir que a ideia é dela.
  21. Tente honestamente enxergar as coisas do ponto de vista do outro.
  22. Demonstre compaixão e compreensão diante das ideias e dos desejos do outro.
  23. Apele para motivos mais nobres.
  24. Dramatize suas ideias.
  25. Lance um desafio.
  26. Comece com um elogio sincero.
  27. Aponte os erros alheios de forma indireta.
  28. Fale sobre seus próprios erros antes de criticar o outro.
  29. Faça perguntas em vez de dar ordens diretas.
  30. Preserve a dignidade do outro.
  31. Elogie todos os progressos, mesmo o menor deles, seja caloroso ao demonstrar reconhecimento e pródigo nos elogios.
  32. Dê ao outro uma bela reputação para manter.
  33. Encoraje. Faça o erro parecer fácil de corrigir.
  34. Faça o outro se sentir feliz por fazer aquilo que você sugere.

Livros poderosos e o seu Mindset

livros, RH

Em primeiro lugar a crise é uma seara de boas oportunidades. De fato, muitos irão morrer (seleção natural) e muitos negócios irão falir (limpeza natural). Percebendo os fatos e não podendo fugir deles, o que estas fazendo para tentar sobreviver, sair do círculo vicioso e aproveitar oportunidades?

Lendo livros? Cursos online? Terminando estudos e especializações? Destravando o curso de línguas? Preparando para certificações profissionais? Provas de classe?

Estas cuidando do corpo? Academia? Treinos em casa? Dieta equilibrada? Cortando álcool e doces?

Estas cuidando do espírito? Rezando e orando? Meditando? Cultivando o silêncio? Realizando boas ações?

Livros poderes são aqueles que ficam na frente da prateleira de livros. Aqueles que se posta na rede social e indica aos amigos. Recentemente li o livro Mindset de Carol Dweck. Um livro de conteúdo e que te agrega valor pelo conhecimento embarcado. Com certeza, para produzir a imensidão de conhecimento, a autora demandou muito tempo e dedicação A praticidade do aprendizado torna a leitura obrigatória para quem quer ascender na vida. É um livro que é útil para qualquer pessoa que deseja ser o melhor no que faz. Muitas vezes, presos a vícios rotineiros, não percebemos o mundo a nossa volta e permanecemos na marcha ré. Para sermos melhores, as vezes abrir mãos de muitas coisas e focar energia naquilo que gerar resultados. Boa parte do tempo demandamos energia em situações que não agrega nada. Pense nisto!

Além disso, estou intensificando meus estudos no inglês, se tudo ocorrer bem e houver planeta terra, ano que vem, vou postular um intercambio em um país de língua inglesa. Pode ser até as Malvinas Argentinas!

Portanto, com a dica de leitura do Minset friso a necessidade de aproveitar o tempo livre da quarentena para largar na frente. Será impossível ficar aberto até o descobrimento da vacina e de remédio eficaz. Quando a economia voltar a normalidade, qual é a tua posição no grid de largada? Evoluiu ou engordou na quarentena?