Falta trabalho

Empreendedorismo, RH, Sociedade

Em primeiro lugar ouço muito que falta trabalho em nosso país. SIM, falta muito trabalho.

Falta pessoas para trabalharam no campo;

Falta pessoas para trabalharam na lavoura manual do pequeno produtor;

Falta pessoas para trabalharam em serviços manuais;

Falta pessoas para trabalharam em serviços noturnos;

Falta pessoas para trabalharam, … Falta pessoas para trabalharam, …

Não é verdade? Tu para para pensar e percebe que muitos empresários, micro empreendedores e profissionais liberais reclamam que falta gente para trabalhar.

Fábricas sofrem para encontrar profissionais que estão dispostos a trabalhar e aprender um ofício. Muitos generalistas e poucos especificistas.

Baixos salários? Péssimas condições? Hmmm, não sei. Acho que está faltando vontade de aprender e lutar. Lutar para crescer e melhorar. Pessoas que desejam vencer e ser alguém na vida.

Pense nisso. Será que a sua falta de trabalho não está em ti mesmo?

1/10: Eu sigo sendo o “um”.

Administração, Empreendedorismo, Pessoal

Em primeiro lugar trocar de trabalho e de setor não é fácil. O comodismo gerado pela necessidade de estabilidade eterna faz com que apenas sejamos atores de nossas carreiras.

Estive recentemente em uma sinuca de bico. 1 em cada 10 pessoas escolheria entre um cargo público e um privado, o cargo no setor privado. Eu sou o 1. No entanto, estive refletindo sobre uma excelente oportunidade na Delivery Much e ir para o cargo inicial do Banrisul. Apesar de ter aceito a primeira proposta, resolvi dar uma virada nos meus interesses de carreira. Não alterei objetivos de longo prazo. Porém, troquei a ordem dos caminhos que estou seguindo para concluir as etapas de pós-graduação (Mestrado e Doutorado) e a possibilidade de poupar e levantar dinheiro para futuros investimentos privados ou até mesmo para ter gordura para estar novamente como um player da roda viva de trabalhador privado.

A Delivery teria possibilidade de explodir junto a empresa, sim uma grande aposta de curto prazo. De fato a melhor oportunidade do que a do Banco. O Banco é algo mais estático, lento e difícil. Porém, vou inverter a ordem, e concluir as formações superiores que desejo, como comentei acima.

Rejeitar o emprego pode ter fechado alguma porta e ter gerado ressentimentos, mas colocar a razão sob a emoção as vezes faz bem. E de fato àqueles que usam a sinceridade e buscam criar suas oportunidades, sempre terão algum lugar.

Poucos entenderiam se eu ficasse no privado. E estes me chamam de louco por queimar minha carreira. De fato, sair do privado quando se está em ascensão para descer a um cargo inicial no público não é fácil de entender para estes que me apoiavam no privado. Mas, não penso nisso. Penso que vou procurar entender de mais um setor importante para a economia do país e para a alavancagem das empresas.

A minha coach Lize Calvano deve estar de cabelo em pé comigo. Carreira com qualidade é o seu mantra. E por isso, indico e recomendo qualidade na tua carreira. Mesmo que isso gere confusões a quem te olha de fora. Afinal, as escolhas são tuas e não dos outros, e afinal tu não é todo mundo. Eu não sou todo mundo.

Bola pra frente.

Como em todo lugar que passei, eu me paguei. Então, vou me pagar no Banco. E assim sucessivamente.

Permaneci 3 anos e 2 meses no setor automotivo. Na Concessionária Volkswagen Japel cresci e aprendi muito.

Seja o melhor no que faz

Empreendedorismo, Geral, RH

Em primeiro lugar se for fazer algo, faça bem feito; faça para ser o melhor.

É comum histórias de lavadores, garçons, engraxates etc. que são destaques no meio que convivem. Qual o motivo? São os melhores. Fazem porque amam o que fazem e querem fazer bem feito. Querem ser os melhores. Para os outros? Não mas para si. Querem sentir-se bem.

Existe muitas recomendações, muitos consultores, muitos planos de sucesso são escritos a todo instante.

Por isso, vale lembrar e relembrar que cursos online, cursos gratuitos e gurus de plantão estão ai para te ajudar. Aproveite para sempre ter a força de vontade interna, amar o que faz e fazer o melhor para si.

Não esqueça: os lembrados são os que amam o que fazem! Só ver os nomes mais lembrados da história.

Se não for fazer bem feito, nem faça.

Não duro no emprego, e agora?

Empreendedorismo, RH

Em primeiro lugar há muitas pessoas que simplesmente não duram em um emprego. O motivo para isso é enorme. Porém, muitos tentam compreender o que fazer para permanecer por mais tempo em seu emprego.

O mercado é uma selva. Sobrevive os mais fortes ou os mais espertos.

Se tudo fosse o paraíso, não haveria escolas profissionalizantes, MBAs, etc. Não haveria concursos, provas e notas. E também não haveria prêmios, sorteios, bonificações. Se não houvesse um mercado, se não houvesse nada que pudesse estimular a criatividade e a motivação de melhorar e mudar, seríamos sempre os mesmo humanamos, vivendo sempre como os mesmos seres humanos.

Por isso, há pessoas com um complexo de sempre estarem inferiorizadas. Pessoas que acham defeito em tudo. Pessoas que não se qualificam e pessoas que não mudam. Muitas ainda não tem condições de compreender que não há lugar perfeito. Ter uma formação, uma qualificação, uma especialização não são hoje detalhe, são quase necessidades de sobrevivência. Mesmo que isso não seja nas instituições formais de ensino. Por isso, há um grande número de pessoas que literalmente não ficam em emprego algum.

Selecionar a empresa antes de entrar nela já é um começo para permanecer mais tempo em um trabalho. Saber que tudo pode melhorar, dentro ou fora da empresa  é um segundo passo. Saber a hora de dar tchau ao trabalho e sempre saber buscar a empregabilidade fazem parte de uma trajetória vencedora.

Nem tudo são rosas, não fique cheirando-as no seu paraíso.

Empreender é fugir da educação regular

Administração, Empreendedorismo, Ensino de Administração, Sociedade

Em primeiro lugar o empreendedorismo não é ensinado nas carteiras escolares. O histórico dos maiores empreendedores da história é: largou a escola, trancou a faculdade, etc… Mas isso não é uma verdade absoluta! Há muitos empreendedores que seguiram a carreira formal da linha do tempo do ensino. Os que não concluíram as formalidades são destaque: eles são a diferença!

E é esta diferença que chama a atenção. Esses “anormais” fugiram do padrão, e são estes que normalmente galgam os maiores destaques, haja vista que buscam na vida a solução natural e real dos seus problemas. Buscam na vida as oportunidades e agarram elas sem medo. Pois, quem está na selva da vida, cada chance é “A” chance.

Além disso, percebo que quem foge da carreira regular segue uma vida mais feliz. Nunca hoje em nossa sociedade se falou tanto em felicidade. A tal ponto de que há pessoas largando grandes centros e grandes empregos para uma vida profissional mediana. Conheço casos de pessoas e amigos que largam tudo para trabalhar em uma empresa onde todos o conhecem pelo nome. Mais humana torna-se a vida profissional quando se interage mais com as pessoas. Isso é obvio. Nem sempre todos veem assim.

Fugir da educação regular, do trabalho regular, da vida regular, é o mesmo que buscar a liberdade voando pelos céus. Se o empreendedorismo fosse entendido como um modo de vida, certamente, as disciplinas nos cursos secundários e superior seriam mais práticas.

O sistema regular de ensino poderia:

Fazer os alunos criaram efetivamente uma empresa; construir um plano de negócio; operar com a empresa durante período teste; estudar casos de sucesso; visitar empresas; conversar com pessoas de sucesso; aprofundar-se em leituras teóricas para compreensão do universo a sua volta.

Talvez, um pouco mais de atitude poderia evitar que grandes figurões fugissem do ensino regular em busca de sua verdade liberdade.

Como parar em um emprego?

Administração, Empreendedorismo, RH

Em primeiro lugar atualmente a permanência em um emprego por um longo tempo já não é o objetivo da maioria dos trabalhadores. Talvez os “Tempos Modernos” sejam outros.

Hoje não mais mal entendimento de quem permanece 12 ou 24 meses em um trabalho. Há quem diga que a permanência por 6 meses já o suficiente para uma ampla experiência e pode trazer a empresa motivação: vassoura nova sempre vare melhor.

Para o profissional que pouco fica em um trabalho deve transparecer ao futuro empregador: o profissional tem este perfil, o setor do ramo de atuação do profissional permitia esta mobilidade sem prejuízos, e o mercado de trabalho compreendia esta postura do trabalhador. Aqui cabe um cuidado para que o empregado não fique pulando de galho em galho, pois isso pode sujar a carteira dele! Isso mesmo, deixará uma má impressão.

Por isso, a mudança em curto período de tempo deve ser muito bem estruturada pelo profissional. Ter um bom currículo, boas experiências e boa formação são essenciais para o início de uma trajetória profissional em curto espaço de tempo em uma empresa. Sinal disso tudo, até no Japão os empregos vitalícios estão fora de moda. Na real, percebeu-se que a fidelidade a empresa por longo tempo pode gerar vários vícios ao empregado. O orgulho do empregado em trabalhar por uma vida de doação a sua empresa, hoje se resume em prédios para empregados vitalícios fora do mercado. Algumas empresas do ramo da tecnologia criaram estes espaços para acomodar empregados improdutivos para que eles possam aproveitar o tempo com algo que lhe tem interesse, e que talvez possa ser aproveitado pelas empresas.

Se até na terra do sol nascente as coisas mudam, no Brasil o entendimento de que rápidas experiências podem ser boas para empresa – pois recebe um trabalhador que vivenciou muitas empresas do mesmo setor ou até mesmo de diversos setores. Para a empresa, isso trás uma visão de mundo maior e mais aprofundada. Muitas vezes, as diversas experiências deste colaborador podem solucionar problemas que funcionários acomodados não resolviam. Ao empregado, isso dá uma excelente experiência de vida.

O futuro chegou e hoje os “Tempos Modernos” são outros!

Fazendo um filho de vários pais

Administração, Empreendedorismo

Em primeiro lugar o nascer de uma empresa dirá como ela será quando ficar adulta.

Observando o crescimento de um ser humano, aponta-se que a personalidade é definida na infância. O futuro da empresa é traçado nas primeiras reuniões entre os sócios/colaboradores. Combinar o que será feito é importante, mas combinar o que não poderá, e o que não pode ser feito é crucial para a vitalidade da unidade inicial em torno de um grande ideal.

Criar um negócio é um ato de coragem, audácia, sorte e, acima de tudo, competência. Saber e saber fazer andam juntas. Se não se sabe fazer, busca-se quem possa executar. Reunir e liderar pessoas diferentes sob um mesmo objetivo é realizador para todo empreendedor. Alias, um empreendedor é um agente de transformação social e econômica. Empreendedor não é acomodado. Para ser empreendedor tem que ser um azucrinador!