Prática Vivencial

Administração

Em primeiro lugar o nome “dinâmica de grupo” amedronta muita gente. Observo que muitos que se sentem assim são pessoas não dinâmicas, ou diferentes dos padrões dinâmicos de um mundo corporativo.

Sugiro uma nomenclatura diferente a ser usada para ações recriem ambientes reais em processos de avaliação ou treinamento, sugiro: prática vivencial. Não somente um nome, mas um conceito revigorado de dinâmica de grupo. Qualquer coisa que se faz em grupo se chama dinâmica de grupo. E os colaboradores contrários e amedrontados pensam assim: “-Dinâmica?”; “-Vou ter que me apresentar?”… e o processo já fica comprometido.

Não digo que aplicar dinâmica é errado, pelo contrário, são fundamentais. E a maioria das vezes as dinâmicas boas e muito bem aplicadas trazem ótimos resultados, mas o conceito que existe estraga todo o processo antes de começar. Se a prática vivencial tiver o objetivo de fazer com as pessoas demonstrem em um grupo o que sabem, o que pensam, o que fazem, o que sentem, e como se comportam sem afugentá-los, as chances de que ninguém trapaceie ou fique inibido aumentam.

A prática vivencial deve ser muito bem planejada pra que seja feita de acordo com o perfil do grupo. A prática vivencial não pode fugir muito do contexto real de experiência do indivíduo.

E a sua opnião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s